top of page
  • Foto do escritorBruno Pauletti

Equity o que é: riscos e vantagens de investir

Atualizado: 24 de nov. de 2022

Quando alguém se pergunta sobre equity o que é, muitas dúvidas podem surgir de imediato. Afinal, esse termo consiste justamente na posse de uma empresa ou direito relacionado a uma parcela dos lucros.


Além disso, é bom destacar que o termo traz como resposta a possibilidade de uma aplicação que permite renda variável. Isso quer dizer, no geral, que o investimento fica exposto a possíveis oscilações. Portanto, pode remeter tanto lucros como também prejuízos.


Assim, antes de decidir de fato aplicar no equity, é importante considerar alguns aspectos importantes. Aqui, o investidor deverá, por exemplo, analisar seus principais objetivos e até mesmo perfil de investimento.


Dito isso, esse conteúdo não apenas trará respostas sobre o que é private equity. Além disso, você poderá entender pontos fundamentais para guiar seu perfil de investidor nesse universo.



Equity o que é: por dentro do conceito


equity o que é

Na realidade, quando se trata de entender mais sobre equity o que é, muitas pessoas buscam respostas precisas.


Entretanto, não há um caminho específico que nos permite conceituar o termo.


Isso ocorre justamente porque ele pode ser aplicado em várias situações diferentes – tanto para pessoa física como jurídica.


Por outro lado, apenas desse “pormenor”, a palavra equity permite uma tradução precisa que faz referência a um patrimônio. Além disso, a palavra pode ser também associada ao que denominamos por balanço patrimonial de uma determinada empresa ou companhia.


Como é um termo bastante amplo, ele ainda pode ser usado de outras formas! Isso considerando a proposta de ativo ou até mesmo área relacionada. Para exemplificar melhor, o termo é comumente usado como referência do valor total de ativos em uma conta de investimento.


Outro dado importante, é que o termo se faz muito presente em outros cenários, sendo denominado por private equity. Neste caso, ele faz referência às ações ou ainda quotas que estejam disponíveis na bolsa de valores.



Resumindo um pouco melhor


De maneira geral, podemos resumir ainda mais para entender de fato sobre equity o que é.


Assim, o termo se mantém como um importante sinônimo relacionado ao patrimônio líquido.


Além disso, ele também marca presença como um representante acionário. Tais números se fazem presentes no balanço patrimonial, uma vez que as companhias e empresas são obrigadas a prestar contas desse tipo de balanço.


Por ser um patrimônio líquido, esse recurso pode ser usado quando uma empresa pretende adquirir novos ativos. Aqui, podemos destacar duas fontes que permitem esse caminho:

  • Dinheiro proveniente de lucros acumulados

  • Valor investido em uma determinada aplicação financeira


Assim, o patrimônio líquido passa a ser considerado uma representação de todos os ativos livres da companhia ou empresa.


E, o que isso quer dizer, afinal?


De forma resumida, ele passa a ser o valor líquido que o grupo de acionistas poderia receber.


Ou seja, caso a empresa ou companhia fosse liquidada. Dessa forma, os ativos poderiam ser usados, por exemplo, para quitar os passivos dessa empresa.


Como resultado, temos uma métrica fundamental para investidores que realizam a análise patrimonial de uma empresa. Para chegar a esse cenário, será preciso calcular os ativos que são considerados menos passivos.



Tipos de equity


tipos de equity

Até aqui você teve a oportunidade de se inteirar melhor sobre equity o que é.


Entretanto, é importante agora dar um segundo passo, ou seja, se aprofundar nos diferentes tipos que existem. Nesse caso, vamos recapitular alguns pontos:

  • Quando você investe de forma direta em um projeto ou empresa visando participar de seus resultados, está fazendo uma operação de equity;

  • As operações poderão ser realizadas junto à bolsa de valores caso a empresa tenha ações listadas. O mesmo vale para uma negociação direta com os proprietários;

  • Em casos de empresas com o seu capital fechado, a operação deverá ser feita por meio de fundos de investimento. Também é possível optar pela captação na modalidade ‘crowdfunding’;

Os fundos que consolidam o investimento de participação societária são denominados como ‘estruturados’. Eles apenas ficam abertos para os investidores interessados que possuam aporte de mais de R$1 milhão em patrimônio aplicado.


Com esses pontos em mente, vamos nos aprofundar agora nos tipos de equity e suas principais características.



Private equity


private equity

O termo private equity consiste nos investimentos de empresas que sejam consolidadas. O objetivo aqui é justamente atribuir melhorias na parte de gestão e, claro, alavancar os negócios.


Esse é um caminho muito adotado quando há a intenção de uma venda futura de participação, por exemplo. O mesmo vale para uma possível abertura de capital.



O que diferencia o equity private?


Um dos maiores do equity private em relação a outros tipos de investimentos é justamente o menor risco envolvido. Isso fica ainda mais evidente quando o comparamos a seus concorrentes diretos! Um bom exemplo são os fundos Venture Capital (VC).


Assim, o equity private é alocado em uma determinada empresa que dispõe de um faturamento atraente. Além disso, leva-se em conta sua posição consolidada junto ao mercado.


Por outro lado, os investimentos VC apresentam riscos bem maiores, já que o aporte é aplicado em empresas. O mesmo vale para startups ou empresas de pequeno e médio porte.


Em geral, essas organizações ainda estão conquistando seu espaço no mercado e realizando apostas em produtos novos. Logicamente o potencial de crescimento é um ponto relevante, mas não há uma previsão consistente.


Por fim, há ainda a fase da empresa em questão. No caso do private equity o foco se mantém no pré-mercado e na consolidação. Por sua vez, o VC prioriza o desenvolvimento da empresa, companhia e seus produtos.


Você também pode desejar ler sobre o que é investimento seed e como ele funciona em uma startup?


O que você deve saber antes de começar a investir?


Entender na prática sobre equity o que é envolve uma boa base de conhecimento e estudo prévio. Especificamente na modalidade private o investidor precisa ponderar diferentes cenários possíveis que podem ocorrem em uma empresa ou companhia.


Isso envolve, por exemplo, rompimento dos sócios, burocracia na prestação de contas e ausência de controle da empresa. Além disso, até mesmo o tempo de retorno a contar do investimento inicial precisa ser considerado.


Existe também a possibilidade de você iniciar seu perfil de investidor como anjo. Leia o que é investimento anjo e qual é o momento de buscar um para a sua startup?




Equity Crowdfunding


equity crowdfunding

No caso do equity crowdfunding (também conhecido como financiamento coletivo), temos uma modalidade um pouco diferente.


Aqui a modalidade envolve um grupo de pessoas com um objetivo em comum: financiar ou se tornarem sócias de uma empresa ou projeto.


Isso vale tanto para empresas e projetos de pequeno e médio porte, bem como para diferentes nichos de mercado. Alguns exemplos são:

  • Mercado imobiliário;

  • Energia renovável;

  • Agronegócio;

  • Comercial;

  • Saúde.


Por serem investimentos coletivos, eles devem ser realizados por meio de captações abertas. Elas precisam impreterivelmente ser identificadas em plataformas devidamente autorizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).


Para ficar mais claro, você pode entrar na participação em projetos de compra e venda cabeças de gado, por exemplo.


O mesmo vale para a aquisição de imóveis para investimento ou até mesmo operação e construção de unidades de saúde. Bons exemplos aqui são clínicas e até mesmo consultórios.


Recomendamos que você também conheça as Fases de uma startup: quais são e suas diferenças.



Vantagens do Equity crowdfunding


O equity crowdfunding reúne muitas vantagens, incluindo:

  • Volatilidade relativamente baixa;

  • Pagamentos dentro do prazo previsto e com valor previsível;

  • Ofertas atraentes de mercado fiscalizados e também regulados;

  • Boa gama de garantias contratuais, além de lastro de bens reais.

Vale destacar que é possível ter acesso a uma alta rentabilidade e proteção contra a inflação que afeta o mercado.


Em geral, esses perfis de ativos não se rendem ao famoso temperamento inconstante do mercado financeiro. Assim, é possível se distanciar das preocupações de oscilação da bolsa de valores.



Home equity


home equity

Quando você passa a tentar entender melhor sobre equity o que é deverá se preparar para ser acometido por outros termos. Esse é o caso do home equity.


Ele funciona da seguinte maneira: uma empresa ou pessoa física realiza uma busca por crédito em uma, ou mais instituições financeiras.


Entretanto, essa busca envolve ceder um imóvel devidamente quitado como forma de garantia. – esse imóvel precisa estar em nome da pessoa ou empresa.


Essa garantia se mantém apenas até que a operação seja quitada. Até esse momento, o banco torna-se proprietário do imóvel, incluindo transferência da propriedade em contrato. Em resumo, é possível afirmar que esse é um processo de alienação fiduciária.



O que diferencia o home equity de outras modalidades de empréstimo?


Você pode estar se perguntando o que diferencia o home equity de outras modalidades de empréstimo vigentes no mercado. – e, essa é uma questão bem justa, na verdade!


O maior diferencial aqui consiste no fato de que o valor concedido pela instituição poderá ser usado para qualquer finalidade. Assim, não é preciso, por exemplo, relatar antecipadamente como o dinheiro será usado. É algo que ocorre de forma diferente em um financiamento, onde o dinheiro deve ter um destino específico.


Outro ponto importante e que merece ser mencionado aqui é que o home equity permite contratação por pessoas jurídicas ou físicas. Nesse caso, basta que o imóvel esteja quitado na razão social ou nome do solicitante.



Não confunda hipoteca com home equity


Ao buscar entender na prática sobre o que é home equity, muitas pessoas confundem a modalidade com a hipoteca.


Entretanto, há diferenças marcantes, embora ambas sejam um tipo de empréstimo com garantia de imóvel.


A maior diferença é que a hipoteca mantém o imóvel sob a propriedade e em nome do contratante do empréstimo. Ou seja, ele não é transferido para a instituição.


Nesse caso, a instituição assume um risco maior na hora de conceder o valor do empréstimo. Por outro lado, os juros também costumam ser bem maiores no geral.


Vale também lembrar que a hipoteca tem uma dinâmica diferente no Brasil em comparação a outros países. Isso porque aqui ela sempre foi um tipo de garantia em financiamentos imobiliários.


Além disso, é um processo menos usual nos últimos anos, principalmente por entregar condições menos atrativas.



Outros tipos de equity


brand equity

Quando você procura saber mais sobre equity o que é, poderá receber como resposta outra modalidade: o brand equity. Essa modalidade é mais voltada para a área de marketing, já que envolve o valor de uma marca.


Para ficar mais claro, ele tem relação com o valor agregado de um produto ou até mesmo um serviço. Isso considerando o nome da marca em questão.


Esse não é um caminho extremamente tangível, principalmente por envolver critérios relativamente abstratos. A percepção de valor por parte dos clientes exemplifica isso, inclusive. Vale lembrar que o valor deles não influencia na imagem de uma marca e nos lucros da marca no mercado.


Assim, esse valor de mercado deverá ser construído em anos e uso de boas práticas e publicidade e marketing. Isso sem contar o desenvolvimento consistente de uma boa base de um target leal.



Como obter retornos melhores com investimento de equity?


Alguns aspectos devem ser levados em conta ao entender na prática sobre equity o que é.


O primeiro deles consiste em avaliar os riscos e também os prazos propostos. Entretanto, é bom lembrar que riscos e prazos maiores podem reverter melhores retornos. Ainda mais em comparação aos investimentos de renda fixa.


Nesse caso, considerar um planejamento minucioso e avaliar seu perfil de investidor é o caminho ideal. Até mesmo porque é sempre importante lembrar que nem sempre a empresa ou startup poderá ter sucesso em sua jornada.



Conclusão


equity investimento

Se você já dedicou tempo de estudo e tem experiência como investidor, esse pode ser um caminho para diversificar. Investir em fundos de private equity depende apenas de acessar a conta em sua corretora. Além disso, busque pelo investimento que se adequa de forma eficiente aos seus objetivos e metas.


No caso do equity crowdfunding, é necessário buscar plataformas autorizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).


Nelas, será preciso criar a sua conta e selecionar a empresa que deseja investir. Para compor a sua escolha, avalie o histórico, projetos e também as taxas de retorno propostas. Buscar o feedback de outros investidores também pode ser um diferencial importante.

  • Tome nota: nem sempre as plataformas de grande porte fazem sentido para todos os perfis de investidores. Por isso, a decisão deve ser pautada pelos objetivos do investidor e até mesmo o tipo de empresa.

Entender na prática sobre equity o que é demanda conhecimento e esforço, além de um apoio inteligente.


Por isso, se inteirar sobre esse universo e discussões aquecidas é um passo mais do que necessário.


Fique por dentro da Equity Rio no Linkedin e se antecipe com a nossa equipe sobre tudo que envolve o mundo dos investimentos e startups!


Aproveite para conhecer também o portfólio Equity Rio com nossas investidas.


Evento Fintech: Conheça os Melhores e Não Fique de Fora.

71 visualizações
bottom of page