top of page
  • Foto do escritorLeonardo M. Pauletti

Startup Social: O que é e qual a sua importância?

Atualizado: 10 de fev. de 2023

Mais do que empreender e mais do que atuar em uma causa social específica, uma startup social tem por objetivo criar soluções inovadoras e não-tradicionais, focando em solucionar problemas de um organismo social e, ainda, fazer disso um negócio.


Dessa maneira, quando nos perguntamos o que é startup social, devemos ter em mente três pilares:

  • Empreendedorismo;

  • Problemas inerentes a um contexto social;

  • Soluções criativas e inovadoras para lidar com esses problemas de ordem social.

Observando esses pilares, descobrimos o motivo das startups sociais fazerem tanto sucesso.


Isso se dá, sobretudo, por conta da forma como é possível criar mecanismos interessantes para fazer com que um grupo social como um todo seja atingido positivamente e, ainda, fazer com que haja geração de renda por meio dessas soluções criativas.


Assim, podemos pensar nas startups sociais como um passo além do que é uma startup de fato, o que a torna muito instigante.


Siga este conteúdo para encontrar mais de 7 ideias e desafios para redução da pobreza.



O que é uma startup social?


startup social

As startups sociais estão ligadas à criação de algumas soluções inovadoras em ambientes em que o próprio Estado não se faz presente da forma que deveria.


Sem o Estado, um ocaso de organismos públicos e eficientes acaba por se fazer presente.


É diante disso que a sociedade civil organizada pode criar soluções criativas para lidar com essas ausências, fazendo disso uma fonte de receita para a organização e seus membros.


Não se trata, no entanto, de atuar apenas como uma ONG.


A ideia de uma startup social é focar no desenvolvimento de soluções que sejam escaláveis com o tempo, além de ser um modelo de negócio que, mesmo com adaptações, possa ser exportado e repetível.


Dessa maneira, é importante que o plano de negócios esteja focado na criação de uma empresa em seus próprios termos.


Caso você tenha interesse em investir ou criar/abrir uma startup, recomendamos a leitura dos conteúdos como criar uma startup e como abrir uma startup.



Em quais segmentos uma startup social pode atuar?



O universo de atuação de uma startup social pode estar ligado a diferentes formas de intervenção na sociedade. Veja, agora, mais sobre startup social e exemplos de atuação:

  • Redução da pobreza;

  • Acesso e promoção da cidadania;

  • Produção econômica focada em sustentabilidade;

  • Acesso à saúde, emprego, moradia, educação, segurança;

  • Fortalecimento de pequenos negócios locais e de microeconomia.

Para que seja possível enquadrar uma startup de impacto social, é necessário que a empresa atenda a alguns princípios, no entanto.


São eles, de acordo com a Carta de Princípios de Negócios de Impacto, publicada em 2014:

  1. Compromisso com uma missão que esteja focada em proteção socioambiental;

  2. Observação constante do impacto social e ambiental, que devem ser monitorados;

  3. Compromisso com a sustentabilidade das finanças do negócio;

  4. Busca constante por mecanismos de governança efetivos.


1 – Compromisso com questões socioambientais


Enquanto primeiro objetivo que a Carta de Princípios de Negócios de Impacto apresenta, a empresa tem de planejar de foram bastante atenta qual a sua missão socioambiental.


Todas as empresas devem ter um objetivo que impacte a microssociedade em que ela se coloca. E, se possível, também apresentar um objetivo que reduza impactos ambientais que o modelo de negócio possa vir a gerar.


Por conta disso, é importante prever e definir de forma bastante clara como serão as operações que a empresa irá criar, bem como os serviços, se for o caso, que ela fornecerá e, por fim, quais são os produtos que irá comercializar.


Dessa forma, é possível compreender como e de que maneira os negócios irão impactar positivamente o contexto social em que a empresa se coloca.


Além disso, as questões ambientais devem ser observadas. Portanto, prever geração e tratamento de lixo, por exemplo, é uma forma de fazer com que a empresa tenha um impacto mais positivo também para o meio ambiente.



2 - Observação do impacto social e ambiental


O segundo objetivo norteador da Carta de Princípios de Negócios de Impacto trata diretamente da importância de se analisar como a empresa irá tratar a realidade em que ela se insere.


Dessa forma, se trata da importância de tornar mais transparente as formas de atuação naquela microssociedade. Por meio desse princípio norteador, se busca traçar as estratégias de trabalho.


Essa etapa, em particular, merece atenção especial da equipe de planejamento. Isso porque todas as diretrizes de funcionamento da startup social deverão estar ali previstas.


Vale sempre observar que todo o funcionamento deve sempre ser repetível e escalável.


Ou seja, dados os pequenos ajustes que devem ser feitos para cada realidade em que a startup de impacto se insere, a empresa deve poder ter seu planejamento de negócio aplicado a qualquer lugar.



3 – Compromisso com a sustentabilidade financeira da startup social


O ponto mais nevrálgico de qualquer empresa, seja ela uma startup, seja ela uma empresa de pequeno ou grande porte, diz respeito à sustentabilidade financeira.


Na prática, 25% das startups acabam por fechar as portas antes de completar cinco anos de atividade. Para lidarmos com isso de forma mais positiva, é necessário que a empresa se planeje financeiramente.


Para que isso seja possível, um plano de negócios sólido é mais do que importante. Esse documento visa tornar mais clara a forma da empresa, bem como apresenta um planejamento financeiro mais dinâmico.


Dessa maneira, apresentá-lo em seu plano de negócios é fundamental para que a empresa possa crescer de forma sustentável e, com isso, seja econômica e sustentável.



4 – Busca por mecanismos de governança efetivos


O quarto e último ponto talvez seja o mais importante de uma startup social. Isso porque, é por meio dele que prevemos quais serão os atores com os quais a empresa terá de dialogar para que o negócio tenha, realmente, o impacto social desejável.


Assim, o quarto passo prevê a maneira como a startup irá dialogar com a sociedade em que ela se situa, com quais lideranças ela terá de trabalhar e, ainda, como seu trabalho impactará de forma positiva essas pessoas e a comunidade em que elas se inserem.


Seguindo estes passos, fica muito mais fácil iniciar a captura de investimento anjo, pré-seed ou investimento seed para a startup social.


Ideias para Startups Sociais: Redução da Pobreza


A redução da pobreza é um desafio mundial e por isso, nada mais coerente que startups sociais possam contribuir para ela.

.

Todos os seres humanos têm o direito de uma vida digna e a pobreza extrema impede o acesso a necessidades básicas, tais como alimentação, moradia, educação, saúde e saneamento.


Mais do que isso, reduzir a pobreza permite que as pessoas tenham acesso a mais recursos, aumentando sua qualidade de vida e reduzindo a vulnerabilidade a doenças, fome, violência e outros riscos.


Além disso, a pobreza pode ser um fator de instabilidade econômica, social e política, enquanto que a redução dela ajudaria a criar condições mais estáveis, permitindo o crescimento econômico e a melhoria das condições de vida.


Assim, os desafios são diversos. Por isso, listamos aqui potenciais ideias para startups sociais atuarem:


  • Criar plataformas online que ofereçam recursos educacionais gratuitos e acessíveis, como aulas de idiomas, programas de habilidades digitais, tutoriais de programação e conteúdo educacional para crianças;

  • Desenvolver aplicativos e tecnologias de saúde que possam ajudar as pessoas de baixa renda a acessar serviços de saúde de qualidade, como consultas médicas virtuais, aplicativos de gerenciamento de doenças crônicas e dispositivos médicos de baixo custo;

  • Oferecer serviços financeiros acessíveis e inovadores para pessoas de baixa renda, como empréstimos sem garantia, contas bancárias sem taxas e cartões de crédito com juros reduzidos;

  • Desenvolver sistemas de saneamento básico acessíveis e inovadores, como banheiros secos, sistemas de reciclagem de água cinza, e sistemas de biodigestores para o tratamento de resíduos orgânicos;

  • Fornecer programas de capacitação e treinamento em empreendedorismo, liderança e gestão de negócios, com ênfase em habilidades práticas e aplicáveis no dia-a-dia;

  • Criar espaços de co-working e incubadoras de negócios que ofereçam um ambiente propício para o desenvolvimento de ideias inovadoras e soluções empreendedoras;

  • Criar negócios que ofereçam serviços básicos e essenciais, como transporte, alimentação e moradia, a preços acessíveis para pessoas de baixa renda.


Existem muitos desafios, o que permite encontrar oportunidades.



Inovação e tecnologia em prol da sociedade


startup social exemplos

Por meio de princípios éticos e de responsabilidade social sabemos como e quanto é possível mudar uma sociedade. E é justamente sobre isso que uma startup social acaba por se sustentar.


Neste artigo buscamos apresentar quais são os princípios norteadores de construção de uma startup social.


Por meio deles é possível construir uma empresa sólida, que seja foco de investimentos e, ainda, duradoura.


E se você já possui uma startup social e gostaria de apresenta-la a nós, envie seu pitch deck para a Equity Rio.


Você quer aprender mais sobre como transformar a sua startup ou mesmo sobre como criar uma? Acompanhe o Blog Equity Rio!




832 visualizações
bottom of page